sexta-feira, 29 de julho de 2011

Conduítes que passavam pelo chão, foram pro teto

Nesse post aqui, mostrei pra vocês um caso clássico que prova o porque de precisarmos estar sempre presentes na reforma. Os conduítes que deveriam correr pelo teto, foram passados pelo chão. Não quis saber. Mandei os caras refazerem o trabalho.

Vejam o antes e depois:

ANTES



DEPOIS


quinta-feira, 28 de julho de 2011

NACREDITO!!!

Olha só! Olha só! Por que é que não sigo meus instintos! Passeando pela internet, vejam só o que eu encontro!!!


Minha idéia de buraco redondo na paredeeeeeee!!!

Puxa, puxa... Vai ter que ficar pra próxima! :P

quarta-feira, 27 de julho de 2011

As vigas (e colunas) que atrapalham nossas vidas - capítulo 3

Promessa é dívida, então vamos lá. Neste post terei a honra de apresentar a vocês todas as vigas que foram descobertas durante o quebra-quebra.

Bom, o maior problema num imóvel lotado de colunas e vigas, é que elas se transformam em obstáculos para passagem de canos, cabos e fios. Acontece que, nos idos de antigamente, as pessoas não precisavam de tantas tomadas quanto hoje e nem tinham internet, tv a cabo e essas outras facilidades da vida moderna. Ou seja, vigas e colunas não eram obstáculos. Porém agora o são e como não queríamos passar cabos pelo chão, tivemos que fazer alguns malabarismos para conseguir distribuí-los melhor pela casa.

Fora o fato de que, em alguns casos, vigas e colunas acabam dividindo os ambientes. Nesse caso você escolhe se rebaixa tudo que é teto ou se usa essa característica a seu favor.

Veremos neste post e em outros da série, quais as soluções que encontramos para contornar esses obstáculos.


~ ~ ~ ~ ~ ~  Vigas e colunas na sala - caso 1  ~ ~ ~ ~ ~ ~

Como vocês podem ver na foto abaixo, Temos uma coluna entre a sala e o corredor do apê.  Percebam que, para passarmos os cabos, que vem do final do corredor para o outro lado da sala, precisaríamos furar a coluna. O que não é possível. Coluna não se fura.

Ah, sim! Coluna chama viga e viga chama coluna. Então, pra piorar nossa situação, encontramos também uma viga atravessando a parede desta coluna de fora a fora. Ela fica a mais ou menos 2,40m do chão. Perceba como o buraco na parede pára à certa altura. Nada de passar cabos mais altos por ali.


Solução: Até a altura da faixa vermelha da foto abaixo, faremos um rebaixo de gesso. Assim o conduíte pode subir até essa altura e ficar escondido atrás do rebaixo.


E aqui você vê, em rosinha, o rebaixo por onde passarão os conduítes e poderão atravessar a sala. (A cor rosa, foi somente colocada aqui para destacar o rebaixo na imagem. Não será desta cor, ok?)




~ ~ ~ ~ ~ ~  Vigas e colunas na sala - caso 2  ~ ~ ~ ~ ~ ~

Em outra parte da sala, temos as famosas vigas e a coluna que dividiram o ambiente e acabaram por definir onde ficaria meu living, o escritório e a mesa. Veja aqui. Reparem como essas vigas tem alturas diferentes. O.o 





E pasmem! As vigas não são grudadas na coluna!!! Vou precisar engrossara coluna até que ele encoste nas vigas. O_O



Solução: 
Pra passarmos os cabos do lado direito para o esquerdo da sala, a idéia inicial era fazer uma prateleira como na imagem abaixo. Os conduítes ficariam escondidos acima dela. (Mais uma vez, esqueçam a cor rosa!). 


Acontece que, pela altura da prateleira, ela não seria suficiente para esconder os conduítes. Olhando de longe, eles ficariam visíveis. Acabamos mudando de idéia e resolvemos  preencher a base das vigas com uns 4 cm de gesso (ao invés de elas ficarem com altura de 75cm, ficarão com 79cm). Desta forma, os conduítes passarão por dentro desse preenchimento. Depois, se eu quiser colocar prateleira, eu decido.



~ ~ ~ ~ ~ ~  Vigas e colunas na sala - caso 3  ~ ~ ~ ~ ~ ~

Bom, essa viga aí abaixo dispensa maiores comentários. Já é nossa conhecida e teve post próprio.




~ ~ ~ ~ ~ ~  Vigas e colunas na sala - caso 4  ~ ~ ~ ~ ~ ~

E pra encerrarmos a apresentação das colunas e vigas da sala (ainda estamos apenas na sala!), mostro a vocês mais uma parede cheia delas! Veja que confusão! Como fazer pra passar os cabos de um lado ao outro desse portal?


Solução: Aqui não teremos outra opção a não ser passar os cabos pelo chão mesmo. Os conduítes atravessarão o portal pelo piso (aliás ali não temos tacos. No chão do portal - que era uma porta de quarto - ficava um trilho pra porta de correr, colocaremos uma soleira de madeira nesse buraco) e quando chegar na parede, tiraremos os tacos bem próximos à parede, que será, então, escavada abaixo da vida. Desse jeito passa bem um conduíte.

Não falei que reforma era igual a um quebra-cabeças? Aguardem os próximos capítulos!

terça-feira, 26 de julho de 2011

Botando os pingos nos is

Percebi que temos mania (pelo menos eu tenho) de chamar todos os funcionários de uma obra de pedreiros. Quebrou alguma parede, passou algum cano, colocou algum piso ou azulejo, é pedreiro!

Até que me dei conta de que o povo lá da obra só chamava de pedreiro o cara que levanta as paredes. O.O Jura??? Pois é... Juro!

Então resolvi passar a usar os nomes corretos pra cada função e achei que isso viraria um post interessante. Pra muita gente esse texto vai soar bobézimo. Paciência! É o que temos pra hoje :P

Mestre-de-obras: Costuma ser o cara mais safo. O que manda e desmanda. Geralmente é com ele que você negocia, é ele que chama o resto da galera e define quem faz o que. E ele acaba sabendo um pouco de tudo também.
Ah, sim! Alguns são bem nariz empinado, se acham os donos da sua reforma. Frequentemente não vão atender a seus telefonemas e dividirão sua obra com mais umas 5 ou 6. Então, mantenha-se firme e mostre que ele é o mestre da obra, mas o dono é você!
Por enquanto estou dando sorte. O Ari, o chefe da galera, é muito gente boa, paciente e saca do riscado. Sua equipe também é ótima. Não tenho do que reclamar.

Pedreiro: Pra minha grande descoberta, pedreiro é o cara que levanta as paredes e faz o emboço. Segundo o dicionário Aulete é o "Operário que se dedica a obras de alvenaria; ALVANEL". Já é hora de parar de chamar todo mundo de pedreiro, hein dona Bianca!

Eletricista: Esse é fácil, né? É o responsável pelas ligações elétricas e passagem dos fios. Simples assim.

Encanador (ou Bombeiro Hidráulico aqui no Rio): O nome também já diz tudo, o cara que cuida do encanamento, logo, faz toda parte hidráulica da obra.

Azulegista: Esse é o carinha que coloca os azulejos. Pois é, existem especialistas nisso. Até porque não é nada fácil colocar um piso ou um azulejo certinho no mesmo nível, tá?

Carpinteiro e Marceneiro: Pra minha surpresa, já vi pessoas falando que carpinteiro e marceneiro não são a mesma coisa. Os dois trabalham com madeira, mas pelo que consegui entender, o marceneiro seria um carpinteiro mais refinado. Consultando as definições no dicionário não percebi essa diferença entre os dois, mas acho que para o senso comum, ela existe.
Atualização em 02/05/2013 - dica do leitor Magnun
marceneiro: fabrica móveis em geral feitos de madeira;
carpinteiro: trabalha com a madeira na construção civil. (telhados, caixarias, etc...)
Valeu, Magnun!!!

Gesseiro: Esse é o cara que faz todo o trabalho com gesso. Normalmente a gente pensa em rebaixos e sancas, mas o trabalho dele pode ir muito além. Dá pra fazer nichos, recortes das paredes e até móveis.

Sintequeiro: Nem sei se essa palavra existe, mas é como costumamos chamar o profissional que faz o sinteco. Ele também repõe tacos quebrados e acerta desencontros de tacos. Mas é importante certificar-se de que o cara sabe assentar o piso direitinho, senão você acaba com vários morros e ladeiras na sua casa.

Pintor: Esse dispensa maiores explicações, né?

Pois bem, fora essa pequena listinha, durante uma reforma você vai descobrindo milhões de outros especialistas. Até mesmo dentro das diferentes funções, você vai encontrar pessoas mais ou menos especializadas em uma ou outra tarefa. Tem o cara que traz a ligação trifásica da rua pra sua casa (sabia disso???), o outro que coloca a louça e os acabamentos de metal muito melhor que os demais, tem o carinha que rejunta muito bem e por aí vai.

É ou não é um admirável mundo novo?

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Por que estar sempre presente?
Ou o caso dos conduítes pelo chão

Como já foi falado em outros posts, é muito recomendado que você passe pela obra ao menos uma vez por dia. Seja de manhã bem cedo, ou no final do dia, antes que os operários vão embora. Mas por que tanta presença?

Bom, como também já foi falado por aqui, por mais que você explique, rabisque as paredes, imprima plantas de todos os tamanhos e as deixe bem à vista, sempre vai surgir uma dúvida ou um imprevisto. E não pense que os caras vão te ligar pra perguntar como devem proceder. Mesmo que você insista para que te liguem a cobrar, eles vão preferir resolver da cabeça deles. Sim, eles certamente tem experiência para encontrar soluções para qualquer problema. Mas nem sempre a solução deles é a melhor ou a que te agrada.

Vamos a um exemplo prático que acabou de acontecer lá na obra e que ilustra bem o que quero dizer.

Desde o início fomos claros com o mestre-de-obra e seus assistentes, que sempre, sempre, sempre que possível, passassem os cabos e canos pelas paredes ou teto rebaixado. Mas por que essa exigência? Simples: o chão nem sempre tem profundidade pra comportar conduítes e canos. Com isso, pode acontecer de, na hora da colocação do piso, o contra-piso amassar o conduíte e interromper a passagem dos fios. Isso aconteceu comigo em outra reforma e tivemos que arrancar tacos e refazer um pedaço do chão, depois da reforma terminada. Olha que chuchu!

Em relação a canos de água e esgoto a situação pode ser ainda pior. Se você tem uma infiltração na parede, em pouco tempo você perceberá. A parede irá escurecer no ponto em que a água vaza e rapidamente estufará sua pintura. É chato, mas pra consertar é mais fácil. Você quebra a parede, resolve o vazamento e pronto. Agora, imagine se esse vazamento acontece em algum cano que passa pelo seu chão. A água vaza por ali e lá fica, vai acumulando. E até que você descubra que alguma coisa está acontecendo debaixo dos seus pés, sua laje já virou uma piscina e o vazamento foi parar no teto do seu vizinho debaixo. Não é lindo? Já aconteceu com meu pai e ele precisou deixar o chão quebrado e aberto durante dias até que a laje secasse...

Por conta disso enchemos o saco com essa questão de passar cabos e canos pelas paredes e teto.

Pois bem, com isso em mente, criei todo um projeto pensando que onde tivéssemos vigas descendo do teto, precisaríamos de alguma prateleira de gesso ou rebaixos. Projetei, inclusive, uma prateleira de fora a fora numa das paredes da sala, só pra esconder conduítes. Veja na imagem abaixo.








Tudo projetado e explicado, chego hoje na obra e me deparo com a seguinte cena:




Conduítes pelo chão! Nooooooooooooo!!!

Lógico que o eletricista quis se justificar, dizendo que esse era o melhor caminho a se fazer, que de outra forma teríamos muitas curvas nos conduítes e caixas de passagem, que ele havia cavado bem o chão, pra evitar problemas futuros etc etc e tal.

Não me convenceu. O caminho por cima é o mesmo que por baixo, o número de curvas é o mesmo, eles é que se confundiram e acharam que melhor seria escavar o chão. Azar! Vão ter que refazer o trabalho. Até porque, por mais fundo que eles tenham escavado o chão, não o fizeram na parede. Reparem na foto abaixo como o conduíte não ficou fundo o suficiente na parede. Quando fôssemos colocar o rodapé, esse certamente amassaria o conduíte. Tsc, tsc, tsc...


E assim, voltamos ao início do texto. Esteja SEMPRE presente. Se não for possível, contrate alguém que o faça. E nesse caso, mantenha um bom diálogo com essa pessoa. ;)

~ ~ ~ ~ ~

P.S.: Dica de uma amiga minha: tente não colocar armários em paredes onde passam os canos ou vice-versa. Pode aparecer um vazamento justo na parede onde você tem esse armário. Aconteceu com ela (mas nem foi sua culpa, o vazamento era no vizinho e o apê era alugado) e seu armário foi todo estragado por dentro e teve de ser trocado. :(

sexta-feira, 22 de julho de 2011

A cozinha do vizinho bota ovo amarelinho :P

Eu tinha lá umas idéias pra minha cozinha, aliás, pro apartamento todo, né? Mas sempre batem aquelas dúvidas e ter um projeto parecido com o seu para se basear, ajuda e muito!

Pois bem, a ex-inquilina aqui do apê disse que no 7º andar haviam feito uma reforma como a que eu pretendia. Trocando sala com quarto, ampliando a cozinha etc e tal. Logicamente entrei correndo em contato com a moradora do tal apê, pra dar uma olhadinha no que havia sido feito por lá.

Bom, quarto e sala não foram mexidos. Aliás, o apê do 7º andar ainda é um 2 quartos (ele era assim no original) e a sala é um aperto. Mas a reforma deles ficou fofa de qualquer maneira e eu fiquei super aliviada em saber que minhas idéias funcionariam (ao menos as pra cozinha)!

Então vamos parar de blablabla e mostrar as fotenhas, que eu sei que é isso que vocês querem ver!

Lembram-se de como era a cozinha? Super apertadinha, enquanto a área era enorme!



Vejam como ficou, quando resolveram empurrar a parede da área pro fundo.



E aqui a cozinha antiga vista da área...


Olha como ficou bem maior!


Detalhe pra janela. Baixaram sua altura, abriram um vão de fora a fora e colocaram esse batente que abre até 180º. Bacana, né?



Então, depois de conhecer essa reforma do vizinho, fiquei bem mais tranquila. Agora sei que minhas vontades podem ser bem resolvidas.

Aliás estou até com outras idéias na cachola, pra melhorar esse projeto. Vai ficar beeeem legal! Vocês vão ver!!!

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Sala e quarto - quarto e sala

Se você está me acompanhando até aqui, já sabe que troquei a sala de lugar com o quarto e vice-versa. Sabe também que tive que fazer mudanças nas idéias iniciais que tinha pra sala, por conta das vigas malditas. Pois bem. Agora que já tá tudo decidido, posso mostrar pra vocês como (acho) que vai ficar. Pra bem da verdade, acabei gostando mais dessa opção. Já que as vigas dividiram o espaço, vamos assumí-lo como dividido! :)

Resolvi que o "living" com a tv vai ficar longe do quarto mesmo. Nada de tv na cama! Inclusive mais saudável, vou cultivar meu hábito de ler antes de dormir :)

Próxima ao quarto, na parede contrária à da cama, ficará a mesa.

No dente ao lado da porta de entrada, o mini-escritório.

A planta e as projeções abaixo dão uma idéia. Não liguem para as cores, ok? Só escolhi cores mais chamativas, para que os móveis e objetos ficassem mais visíveis nas projeções. Cores serão resolvidas numa outra fase da obra!

Planta de como quero que fique




Aqui temos uma projeção da sala vista do quarto. Para separar o espaço do escritório do espaço do "living" pretendo colocar umas prateleiras na parede.
E aqui você vê o quarto ao fundo. À direita vemos as tais prateleiras separando o "living" do mini-escritório.


Porém, ai, porém, ficamos com um espaço livre no cantinho da sala. Não a de ser nada, já estou com algumas idéias na cachola, inspiradas pela minha famosa prima-decoradora. Assunto pra novo post, hehehe.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Maneira criativa de passar os fios pela parede

Essa pra mim é novidade e achei a solução criativa e inteligente. Sabe aquela trabalheira que o eletricista tem de rasgar um longo caminho na sua parede para passar os conduítes? Pois bem, ela pode ser minimizada, se seu eletricista for tão esperto quanto o nosso! Vejam como ele, sabiamente, reduziu o quebra-quebra aproveitando os buracos dos próprios tijolos como passagem dos conduítes:




Fazendo assim, ele só precisou fazer alguns furos na parede para achar o caminho por dentro dos tijolos. Menos quebração e mais fácil de tapar depois.

Espertinho ele, não?!


terça-feira, 19 de julho de 2011

Lições aprendidas (até aqui)

Ok, ok, ainda é cedo pra fazer um balanço da reforma, mas como sei que alguns de vocês podem estar começando alguma reforma neste exato momento e como sofro de falta de memória crônica, é melhor ir deixando anotações ao longo do caminho. Então vamos às lições aprendidas até o momento, 4ª semana de obra.

1) Não se esqueça das tomadas e interruptores...
A gente acha sempre muito lindo brincar de espalhar os móveis pela planta do apartamento. Se usarmos algum programinha básico no computador, então, vira festa! Conseguimos até pensar em quebrar uma parede e subir outra, mas sempre acabamos deixando de lado a parte elétrica. "Ora bolas, estou contratando um eletricista pra isso!". Hmmmm... Não é bem assim. O eletricista sabe fazer as ligações e passar os fios (quando ele é bom, né?), mas quem decide onde quer as tomadas é você! Sim, sim! Afinal, onde VOCÊ vai querer a tv? E o microondas? E a geladeira? Você vai querer alguma luminária ao lado do sofá? Da cama?

Calma, não precisa se desesperar. Você não precisa ter nada fixo e imutável. Ninguém está pedindo pra você decidir AGORA se a luminária ao lado do sofá será de pé ou de mesa. Mas... eu diria que, em relação a tomadas, menos é menos. Por isso, acho que a melhor opção é espalhá-las uma em cada canto. Ah, sim! Além de marcá-las na planta, marque-as também nas paredes. Sem dó nem piedade, rabisque mesmo, com caneta hidrocor. Assim você não vai correr o risco de ouvir do eletricista que não viu a marcação.

2) Pense também na luz!
E fez-se a luz! Ou melhor... ficou por fazer, aí o eletricista não gostou, você se enrolou, perdeu a moral e a obra atrasou. Normal, né? Não seria, se eu tivesse pensado nisso antes. Ok, pra não dizer que eu não pensei, eu até pensei, mas não o suficiente. Ficou aquela coisa meio assim: ah, vou ter uma luz assim assado aqui, outra assim assado acolá e outras assim assim do lado de lá. Até que começaram as perguntas: "Mas e onde essa luz acende? Nessa parede ou naquela?" ou "E aqui? Vai ser embutida ou paflon?" e a pior de todas: "E nesse corredor? Vai ter um armário no teto, certo? A luz fica embutida nele? Fica na parede?". Resumo da ópera: se você quer fazer algo mais bonitinho do que uma lâmpada pendurada no teto, desenhe antes. Pesquise, rabisque e converse com o eletricista. Mas não deixe pra resolver no meio do caminho. Aconteceu comigo e um pedaço da reforma (o tal corredor com armário no teto) está ficando de lado, porque ainda não cheguei a um acordo comigo mesma. Luz no teto ou na parede? No teto ou na parede? Mas isso é assunto pra outro post.

3) Janelas não ficam prontas de hoje para amanhã
Se você pretende trocar as janelas do seu lar doce lar, qualquer que seja o motivo, tenha em mente que elas demoram, no mínimo, uns 30 dias pra ficarem prontas. Pode até ser que o vidraceiro te dê um prazo menor. Mas tenha a certeza de que ele vai atrasar. Um dos piores serviços prestados, pelo menos aqui no Rio, é o de vidraçarias. Experiência própria e de amigos. Então faça o seguinte: peça logo orçamentos de janelas no início da sua reforma, principalmente se você pretende mudar o tamanho atual das suas janelas. Em algum momento o pedreiro vai querer quebrar a sua parede e pra isso, ele vai ter que arrancar esquadrias e vidros. E se a janela não chegar logo, faz como? Deixa aberto? Tapa com lona? É uma opção, sim. Mas se puder ser evitada, tanto melhor, né? :)

4) Não resolva nada por impulso
Vai surgir um ou até vários momentos na sua reforma, em que o pedreiro, eletricista ou encanador vão te pressionar pra decidir essa ou aquela coisa. Vão dizer que precisam do material pra ontem e que se tal problema não for resolvido hoje, a obra vai sofrer atraso. Não dê ouvidos a eles! Eles sempre acham que são donos da obra e quando resolvem que agora é hora de rasgar essa parede e não aquela, isso passa a valer como verdade absoluta. Faça o seguinte. Respire fundo, dê uma olhada em volta, diga que está pensando e mude o foco para algum outro problema. Principalmente se você ainda não tem a solução completamente definida na sua cabeça, não resolva por impulso. Exemplo bobo que aconteceu comigo: pressão, pressão, pressão para comprar a tal da descarga. "Ah, porque precisa pra hoje, ah porque o encanador vai fazer os banheiros hoje, ah porque isso, ah porque aquilo". Resultado, a descarga bonitinha que eu queria não tinha pra pronta entrega e acabei escolhendo outro modelo. Pergunto eu: o encanador já a instalou? Não. Nem eu. Tá lá embaladinha na caixa há mais de uma semana. Por conta disso, tô p. da vida, porque ontem acabei achando a descarga fofa que eu queria em outra loja, mas... já tinha comprado o outro modelo. Que ainda não foi instalado e que não pode mais ser trocado, porque perdi o prazo de 7 dias! Humpf!

5) Seja flexível
Sei que é muito difícil pra maioria das pessoas se desfazer de uma idéia adorada, por motivos de força maior. Mas tenha certeza, isso vai acontecer. Vigas que surgem, colunas que aparecem, paredes onde você não vai poder passar o cano que queria e por aí vai. Então tenha sempre em mente que uma reforma é como um jogo de quebra-cabeças. Aliás, se você encarar tudo como um desafio lógico, fica até mais interessante ;)

Então, se você puder prever alguns desses problemas e pensar num plano B de antemão, ótimo! Se não tiver como, converse com o empreiteiro e tente contornar a situação. Sempre existe um jeito de fazer algo parecido ou mesmo algo ainda melhor. O segredo é ser flexível.

6)  Planeje, planeje, planeje
Se você puder atrasar o início da obra só um pouquinho, pra ter quase tudo resolvido antes de começá-la, faça-o! Não precisa ter tudo absolutamente resolvido e comprado. Tente apenas definir o máximo que você puder antes da primeira martelada. Vai te poupar muita dor de cabeça, acredite :)

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Absurdos descobertos!!!

Vocês já devem estar cansados de ouvir falar das milhões de vigas e colunas que andaram atrapalhando meus planos, certo? Não. Não se cansem ainda, pois elas com certeza estarão presentes em outros posts, mas por enquanto vamos nos ater a dois absurdos que encontramos no apartamento depois que fizemos as escavações arqueológicas necessárias para trocar canos e fios. Sim, obras são como futebol, uma caixinha de surpresas. Nem sempre agradáveis...

Mas como eu prefiro rir muito mais do que chorar, tenho que achar graça! E ficar feliz por ter quebrado tudo. Assim posso corrigir erros e correr menos riscos futuros. Então, riam comigo:

1) Reparem nesse maravilhoso cano que atravessa o chão do apartamento, passando pelo corredor, banheiro, até chegar à cozinha (nesta foto você o vê passando pelo chão do banheiro).

Tá, mas e daí, Biancolina, qual é a graça de um cano passando pelo chão? A graça, meus caros leitores, está no fato desse cano ser, simplesmente, o cano de GÁS!!!

Agora imaginem vocês como seria ainda mais engraçado, se os pedreiros não fossem cuidadosos e acertassem uma marretada nessa coisa linda? Hora de passar o gás por fora do apê, concordam?


2) Agora vejam essa maravilha realizada pela genial mente humana e me digam: Quais os erros da imagem abaixo?

Erro nº 1 - Essa parede é do MEU apê! E esse cano é do apartamento do VIZINHO! 

Erro nº 2 - Não, não estou sendo chata com o vizinho. Mas invadir assim a parede dos outros não pode, né? Ainda mais quando o vizinho NÃO MORA NO MESMO PRÉDIO QUE VOCÊ!!! Isso mesmo! Esse cano é do vizinho do prédio AO LADO!!! 

Erro nº 3 - E como se não bastasse invadirem a parede alheia sem pedir licença, os caras ainda me passam o cano grudadinho ao QUADRO DE LUZ dos outros!!!! Acreditem, nesse buraco aí ficava o antigo quadro de luz do apê, o qual obviamente vai trocar de lugar, depois dessa magnífica descoberta!

SURREAL!!!

É nessas horas que agradeço por ter decidido quebrar geral ;)




sexta-feira, 15 de julho de 2011

Banheiro definitivo!!!

~ ~ ~ ~ ~ ~  Opção 5  - finalmente!  ~ ~ ~ ~ ~ ~

Hahahahahahahhaha! E você, o encanador e os pedreiros achando que o banheiro estava resolvido, hein? Enganei vocês!!!

Lembram-se da coluna indesejável logo na entrada do banheiro? Pois bem, ela não está ali à toa. Por ela passam o famoso barbará, que nada mais é do que a coluna de esgoto do prédio (eca!) e a coluna d´água do edifício. Tá, mas e daí, dona Bianca? Já não estava decidido que a pia ficaria ao lado da coluna e que as duas estavam em harmonia? Sim, ficariam em harmonia até o dia que o tal esgoto (eca!) ou a tal coluna d´água resolvessem dar problema. O que pode acontecer mais cedo ou mais tarde, já que o prédio não é dos mais novos. Então... Já pensou se um deles resolve vazar? Olhem bem para a planta abaixo:


Vejam como a bancada da pia fica grudadinha na coluna do barbará. Entonces, se algum dia eu precisar abrir essa coluna pra consertar o cano de esgoto (eca!) ou a coluna d´água, vou ter que arrancar fora TODA, eu disse TODA a bancada da pia. Olha que xuxu!!!

Eis, então, que o jogo termina em empate e surge a necessidade de uma prorrogação! Rapidamente botei minha cachola pra funcionar (doeu, mas funcionou :P) e decidi inverter a posição da pia com a privada. A porta do banheiro terá que andar um pouco pro lado, mas o resultado me trará menos dor de cabeça no futuro. Vejam, a coluna fica livre para qualquer necessidade de consertos no futuro (sinceramente, espero que isso nunca aconteça!).



 E pronto! Agora foi!

E como é sempre bom ouvirmos as palavras de pessoas sábias, como Chico Buarque que bem cantava: "Cala a boca barbaráááá!", resolvemos ter uma conversinha com o síndico, pra ver se a gente renovava de uma vez esse encanamento, já que estamos com a parede aberta. Não adiantou muito... O condomínio tá sem grana e já tem outros dois apartamentos na fila pra esse mesmo tipo de obra.

Mas fica a dica: se você vai fazer quebradeira geral e o encanamento do prédio é velho, tente convencer o síndico a trocar logo de vez a coluna d´água e o barbará. Assim você já se livra de muita dor de cabeça futura.


quinta-feira, 14 de julho de 2011

A saga do banheiro

Quem tem banheiro pequeno em casa, sabe a dureza que é, uma má distribuição do espaço. Eu então, que sempre tive o privilégio de morar e frequentar casas com banheiros grandes (não, não sou rica, mas sempre morei em prédios antigos. Acho que no tempo da minha avó, as pessoas dormiam no banheiro. Sei não...), sofri um dobrado pra conseguir definir a melhor maneira de organizar pia, vaso e box num espaço de 1,40 x 1,95m. Ah, sem contar com uma coluna doida, que não poderia ficar de fora desse espacinho. Absolutamente nenhum aposento desse apê está livre de colunas e vigas em lugares estranhos.

Mas vamos aos fatos. Em primeiro lugar, quero apresentar a vocês a planta do banheiro:




~ ~ ~ ~ ~ ~  Opção 1  ~ ~ ~ ~ ~ ~

A primeira idéia foi jogar o box lá pro fundo. Odeio tomar banho num cubículo. Não dá pra abrir os braços e sentir a água cair, né? Apesar de uma ou outra pessoa dizerem que pia grande é mais importante que box grande, porque box você só usa uma vez por dia e pia várias vezes, eu quis o box grande ainda assim.





~ ~ ~ ~ ~ ~  Opção 2  ~ ~ ~ ~ ~ ~

Em seguida percebi que a pia na posição anterior ficaria meio torta por causa da coluna indesejável. Aí resolvi trocar o vaso de lugar com a pia.





~ ~ ~ ~ ~ ~  Opção 3  ~ ~ ~ ~ ~ ~

Tudo marcadinho e cavadinho na parede e pumba! Recebo a visita da minha queridíssima prima Roberta - a decoradora. Eis que ela me surge com a idéia de fazer o box mais pra quadrado. Assim eu conseguiria ter uma pia maior um tantinho de nada. Apesar de não fazer grandes diferenças, acabei achando a distribuição mais harmônica e partimos para a terceira opção.




~ ~ ~ ~ ~ ~  Opção 4  - ufa!  ~ ~ ~ ~ ~ ~

Maaaaaaassssss... Dona Roberta não dorme em serviço. Não mesmo! Tanto que um belo dia, acordo com váaaarias mensagens dela no meu celular e uma idéia! O box volta pro fundo, a pia ganha uma bancada mais fina, só que beeeem mais larga e a privada ainda cabe em frente a ela. Amei, amei! E aos 45 do segundo tempo, corri pra obra e bati o martelo. Meu banheiro fica assim:




Já sei, já sei. Vocês vão dizer que vai ficar apertado pra entrar no box. É, pode ser, mas não se pode ter tudo e eu ainda acho que essa foi a melhor solução! Voltei a ter box grande (exagero, né?) e bancada boa!

quarta-feira, 13 de julho de 2011

O cofre

Não sei se vocês estão lembrados, mas no antigo quarto do apê, vivia um pequenino cofre de parede. Dizia a lenda, que esse cofre pertenceu a um mafioso que, há muito tempo atrás, habitou o que em breve será meu novo lar. A lenda dizia ainda, que esse mafioso era foragido da Itália, guardava toda sua fortuna do dito cofre e não tinha família aqui (existe mafioso sem família?). Maaaassss... Nenhum de nós possuía o segredo do tal cofre ou mesmo sua chave. Seu mistério morrera com o mafioso. A única maneira de conhecer seu conteúdo, seria arrancando o cofre da parede e abrindo ele por trás...

Imaginem vocês o tamanho da minha expectativa pra saber o que encontraria lá dentro. No fundo, no fundo eu mandei quebrar essa parede só pra poder tirar o cofre dali. Aí acabei gostando da idéia de trocar o quarto de lugar com a sala (essa parte é mentira, tá?).


Pronto! Cofre no chão. E agora? O que será que ele esconde no seu interior...?


.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Mistério...
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

Tcharan!!!!

Fuén, fuén, fuéééééénnnnn...


NADA!!!!!!!
Pois é... Ainda não foi dessa vez que eu ganhei meu primeiro milhão...

terça-feira, 12 de julho de 2011

As vigas que atrapalham nossas vidas - capítulo 2

Esse apezito e suas vigas vão dar o que falar! Depois pretendo fazer um post mostrando todas elas. Vocês vão morrer de rir! Mas por hora vou me ater a viga que teve de ser retirada.

Calma! Calma! Calma! Ninguém aqui é louco. Não, não tiramos nenhum viga estrutural. Até porque eu seria a primeira afetada por um teto caindo na minha cabeça. Nem pensar! Vigas NÃO PODEM, de maneira nenhuma, ser retiradas a torto e a direito, ok? Consultem sempre um engenheiro antes de qualquer tipo de modificação estrutural dessas!!!

A viga em questão não era estrutural. Nós já sabíamos disso, pois ela havia sido colocada ali pelo meu avô, quando fez a primeira modificação no apartamento. Como vocês podem ver na foto abaixo, ela estava apenas "emoldurando" o portal que dividia a sala e onde agora pretendo colocar o quarto. Por que ele colocou uma viga enorme ali? Bem... era o que se fazia na época. Hoje em dia, faríamos tudo com gesso. Enfim...

Mas porque tirar a viga daí, Biancolina? Não dá pra deixar ela quieta no seu canto? A resposta é simples, estão vendo a quina que também será arrancada, na foto acima? Ela está segurando a viga. Se a gente tira esse pilar daí, corremos o risco de sermos achatados por uma viga maldita. E ninguém quer isso, correto?

Bom, agora que vocês entenderam porque é que ela sai, vamos ao problema de número 2. Como se arranca do teto uma viga de aproximadamente 350kg?! (Ok, a gente achou que ela pesava tudo isso e como vocês verão, a solução encontrada foi pensando nesse peso todo. No final descobrimos, que havíamos calculado seu peso errado. Mas aí ela já estava no chão, hehe)

Mas então! Nada como um pai engenheiro e cauteloso, pra solucionar um problema como esses de forma correta. E antes que esse post fique prolixo demais, vou deixar que as fotos falem por si e expliquem a solução que encontramos.

Como fica difícil arrancar uma viga tão pesada de uma só vez, a solução foi quebrá-la em 3 pedaços. E para que ela não desabasse no meio do procedimento, foram colocadas 3 escoras de madeira abaixo dela.



Pra não arranhar o chão uma viga de madeira foi posicionada de fora a fora.
Outra foi colocada abaixo da viga de concreto, pra ajudar a escorá-la.

As escoras de madeira foram cortadas um tantinho maior que o vão, pra que ficassem bem presas e firmes.


E pra não corrermos o risco de que elas saíssem do lugar, elas ainda foram pregadas no chão e no topo.

Pra arrematar, ainda colocamos duas vigas de madeira na diagonal,
assim as escoras não sairiam do lugar mesmo!

E aí, foi só começar o quebra-quebra. Aqui você vê o final da operação.

Detalhe, pra facilitar a retirada desse último pedaço da viga, foi feita uma "cama" com o entulho, logo abaixo dela. Aí, foi só quebrar a parede e depois empurrá-la pro chão!

Olha a cara de satisfação e dever cumprido da galera! (Atrás você vê a "cama" de entulhos)

Pra tirar a quina que sobrou e o portal de madeira, ficou fácil!
E olha ela aí! Do tamanho de um pé de pedreiro! Vigão!!!

Posts relacionados - Plugin for WordPress, Blogger...